O mais importante na vida é: tomar decisão


Em todos os momentos da nossa vida estamos expostos e sendo exigidos para tomar algum tipo de decisão. As vezes são coisas banais, sem muita importância, mas em outras vezes, podem fazer muita diferença. Desde que nascemos, na infância, na adolescência e principalmente na vida adulta, temos que decidir por algo, seja na vida pessoal, profissional, espiritual, etc.

Por mais que uma situação seja difícil, a solução passará por alguma decisão que devemos tomar, para resolvê-la. Caso contrário, o problema permanecerá como está. Parece simples quando se fala a respeito, mas muitas pessoas sofrem para fazer isso, ficando ansiosas ou mesmo angustiadas, porque não sabem qual atitude tomar e que decisão devem optar em certos momentos da vida. Não é fácil mesmo. Um bom exemplo disso é quando somos jovens e estamos próximos de definirmos qual faculdade fazer, por volta dos 17 ou 18 anos e isso acaba sendo um pesadelo para muitas pessoas. Como decidir qual será a melhor profissão sendo tão jovem?

Depois da faculdade escolhida e o curso concluído, enfrentamos outro processo de decisão bastante difícil. Que carreira escolher? Qual é a melhor empresa para se trabalhar? Como conseguir um bom emprego? É o início da vida profissional e muitas vezes o sucesso da carreira vai depender muito da decisão que tomamos nesse começo de vida de trabalho. Muitas pessoas acabam se perdendo pelo meio do caminho, por decisões tomadas de forma errada na escolha da carreira.

Ao longo da vida profissional muitas coisas ocorrem e os resultados dependerão das decisões que tomamos. Ofertas de trabalho de empresas, possibilidades de novas funções e novos cargos, mesmo dentro da empresa, possibilidades de transferências de locais de trabalho, e assim por diante. Cada momento desses exigirá a nossa capacidade de tomada de decisão. Sem considerar o dia a dia do trabalho que envolve uma infinidade de definições.

Na vida pessoal, da mesma forma, a medida que crescemos, cada etapa nos obriga a fazer opções e tomar decisões. Uma das mais difíceis é quando decidimos casar, ao encontrarmos uma pessoa com quem queremos compartilhar a vida. Depois disso vem as decisões a respeito dos filhos. Cada etapa é uma quantidade enorme de opções que precisam ser feitas.

O tempo vai passando e, tanto na vida profissional como pessoal, cada vez este processo vai ficando mais complexo. No trabalho vamos assumindo mais responsabilidades a medida que vamos ganhando experiência, o que nos leva muitas vezes para posições difíceis de Liderança. Quem chega neste nível, sabe o quanto de tomada de decisão precisará fazer para ter sucesso profissional. Muitas pessoas, e o próprio negócio, dependerão cada vez mais da quantidade e da qualidade dessas definições.

Na vida pessoal igualmente. A medida que os filhos vão crescendo novas responsabilidades e situações vão aparecendo exigindo a nossa capacidade e discernimento para ajuda-los na sua evolução. Muitas outras vidas vão depender da nossa habilidade e competência nesse campo.

Além disso, outras coisas que fazem parte da nossa vida dependerão dessa mesma competência. Como economizar, como investir melhor, compra ou troca de imóveis quando isso é possível, viagens, etc.
Por isso, a coisa mais importante na vida é saber tomar decisão. Quanto mais nos prepararmos para isso, maiores serão as nossas chances de sucesso. Obviamente, desde que façamos opções inteligentes, analisadas, refletidas e ao mesmo tempo assumindo um certo grau de risco, pois toda a decisão tem a possibilidade de dar certo ou não. O mais importante é decidir!

Para finalizar, minha esposa e eu estávamos passeando numa das avenidas principais de Gramado e notamos uma almofada na vitrine de uma loja com os seguintes dizeres: FELICIDADE NÃO É UM SONHO, É UMA DECISÃO!!

Felipe Westin é Diretor Executivo da Westin Desenvolvimento de Pessoas. Economista com MBA em RH pela USP/FIA e com mais de 40 anos de experiência em RH e Negócios. Foi por 20 anos Diretor de RH da Bristol Myers Squibb e Monsanto. Foi Diretor de RH da Monsanto nos Estados Unidos. Trabalhou como Executivo em empresas como Braskem, Alcoa, Dow Química. Foi Presidente do Conselho da ABRH-SP, onde atualmente é membro do Conselho. Autor do livro: Administração de Salários por Desempenho.


Confira outros artigos de Felipe Westin em: http://westinrh.blogspot.com.br.


Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Twitter
Os comentários estão fechados